Saúde da Mulher: o anticoncepcional pode falhar?

 

Primeiramente, devemos alertar que o medicamento contraceptivo não é e não deve ser a única forma de se prevenir a gravidez. Além da gestação, durante a relação sexual, você também deve se proteger contra doenças sexualmente transmissíveis, como a Aids e o vírus HPV – que causa câncer do colo do útero – por meio do uso de preservativos. 

Sobre o anticoncepcional 

Trata-se de método contraceptivo com eficiência de 99,5%. O medicamento de uma gravidez porque evita que o espermatozoide encontre o óvulo, evitando sua fecundação. Isso significa que menos de 1% das mulheres que fizerem o uso do anticoncepcional vão ter risco de engravidar e isso é muito pouco. 

O anticoncepcional, em si, não costuma falhar. Mas há fatores que fazem o medicamento falhar. Temos, atualmente, mais de 60 tipos de pílulas anticoncepcionais que se diferem, principalmente, pela dosagem hormonal. Quanto mais baixa for a dose, menor vai ser a chance de sofrer os efeitos colaterais do medicamento.

O melhor dia para se começar a toma-lo, é no primeiro dia da menstruação. Existem alguns anticoncepcionais com 28 comprimidos, que você deve tomar sem pausa e outros com 21 comprimidos que você faz uma pausa de sete dias ao terminar a cartela.

O que pode levar a falha

Quando existe, a falha do anticoncepcional, na verdade, está associada ao seu uso incorreto pelo paciente que pode esquecer de tomar o comprimido ou achar que se deixar de ingeri-lo por alguns dias, continuará sobre o efeito do medicamento.

No entanto, para que o anticoncepcional oral tenha maior eficácia é importante ingerir todos os dias no mesmo horário. 

Outra causa pode ser o consumo de antibióticos. Isso porque alguns remédios deste tipo podem, sim, cortar o efeito do anticoncepcional. Mas não são todos. O importante é, que ao ter um antibiótico prescrito, conversar com seu médico e relatar o uso do anticoncepcional para que o profissional da saúde possa prescrever um medicamento que não tenha esse efeito.

Se não tiver alternativa, ele deve orientá-la sobre o risco para que o casal adote outro método contraceptivo neste período, a camisinha.

A ingestão de bebida alcoólica em excesso pode ocasionar vômitos, e se o anticoncepcional tiver sido ingerido há pouco tempo pode ter sua eficácia reduzida. 

Além do anticoncepcional tradicional via oral, existe a opção injetável. Existem também outras opções para evitar a gravidez como o uso do DIU e diafragma ou ainda um implante subcutâneo, adesivo ou anel vaginal, que são capazes de liberar o hormônio gradualmente durante todo o mês e acabam sendo uma boa opção para quem costuma esquecer de usar o comprimido.