Como anda a sua pressão arterial

Trata-se de uma condição crônica, na qual a força do sangue contra a parede das artérias é muito grande.

O coração e os vasos podem ser comparados a uma torneira aberta ligada a vários esguichos. Se fecharmos a ponta dos esguichos a pressão lá dentro aumenta. O mesmo ocorre quando o coração bombeia o sangue. Se os vasos são estreitados a pressão sobe.

Além do fator genético – há pessoas que tem predisposição a serem hipertensas – o estilo de vida sedentário, ou seja, o indivíduo não pratica exercícios físicos com regularidade, se alimenta mal e consome muitos alimentos ricos em sódio que é prejudicial à saúde são fatores que colaboram para o desenvolvimento da doença. Stress e obesidade também levam desencadeiam a pressão alta. 

Riscos à saúde

Em geral, a pressão arterial elevada é assintomática, ou seja, o paciente não apresenta sintomas, mas ao longo do tempo, a doença pode causar sérios problemas de saúde. Se não for tratada pode levar a doenças cardíacas como infartos e a Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Quando está alta, a pressão sobrecarrega os vasos, coração, rins e cérebro. Os vasos são recobertos internamente por uma camada muito fina e delicada, que é machucada quando o sangue está circulando com pressão elevada.

Com isso, os vasos se tornam endurecidos e estreitados podendo, com o passar dos anos, entupir ou romper. Quando o entupimento de um vaso acontece no coração, causa a angina que pode ocasionar um infarto.

No cérebro, o entupimento ou rompimento de um vaso, leva ao “derrame cerebral” ou AVC, que pode levar a morte ou deixar severas sequelas como perda de movimentos de um lado do corpo.

Nos rins podem ocorrer alterações na filtração até a paralisação dos órgãos. Todas essas situações são muito graves e podem ser evitadas com o tratamento adequado, bem conduzido por médicos.

Diagnóstico

A hipertensão arterial é diagnosticada clinicamente pelo médico, que também pode requisitar outros exames como hemograma e eletrocardiograma para fechar o diagnóstico. A pressão também passa a ser monitorada por alguns dias para que sejam identificados os picos de pressão e ajuste-se assim o melhor tratamento.

O paciente nesta condição precisa de uso de medicamento diário para o controle da pressão arterial, além de seguir uma dieta recomendada pelo médico, pois deve-se evitar o consumo de alimentos ricos em sódio.