Tendinite calcária nos ombros: uma doença comum entre homens e mulheres

 

Essa condição ocorre porque o cálcio se acumula lentamente nos tendões do ombro, levando meses para a tendinite calcária evoluir, e nessa fase muitas pessoas não percebem, até vão surgindo dores e desconforto e, subitamente, evoluir para uma dor muito intensa.

Trata-se de uma doença comum que atinge, principalmente, mulheres com idade entre 30 e 50 anos. Ela ocorre de duas formas: aguda e crônica.

Na fase aguda, a tendinite calcária vem acompanhada de dor intensa que irradia para o deltoide e, ao tocar o ombro, é possível identificar o ponto certo da dor. Outros sintomas são limitações no movimento do ombro.

Na fase crônica os sintomas são os mesmos da síndrome de impacto, ou seja, dor e dificuldade para executar os movimentos da articulação.

Diagnóstico

A tendinite calcária pode ser diagnosticada com exame de Raio X. Também é recomendada a realização de uma ressonância magnética para o médico confirmar ou descartar suspeita de lesão no tendão. Apenas com o diagnóstico confirmado seguramente para tendinite calcária é que pode ser iniciado o tratamento para o problema.

Entre os tratamentos indicados estão a prescrição de analgésicos, repouso, crioterapia e fisioterapia. Em outros casos também pode haver a necessidade de tratamento cirúrgico, que é realizado com o objetivo de retirar o depósito de cálcio do tendão, procedimento que pode ser feito por meio de artroscopia do ombro.

Não se sabe ao certo o que leva a esse acúmulo de cálcio dentro do tendão. No entanto, sabe-se que há uma predisposição para o desenvolvimento de depósitos de cálcio, mas para ocorrer tal formação, deve haver uma alteração vascular local, o que faz com que haja uma alteração química no interior do tendão e isso leva a deposição de cálcio.