Veja cinco problemas de saúde que o pré-natal detecta

 

Logo ao descobrir a gravidez, a mulher deve fazer uma série de exames para saber se porta algum tipo de doença ou síndrome que pode prejudicar a gestação. Se ela é portadora de HIV, por exemplo, o tratamento correto pode garantir que o bebê não nasça com o vírus. Veja oito doenças que podem ser detectadas e tratadas durante a gravidez.

Sífilis – trata-se de uma doença que tem aumentado o número de casos devido ao sexo sem proteção e que pode causar sequelas no bebê.

A sífilis pode ser transmitida da mãe para a criança e quando as mulheres não são tratadas na fase recente da doença apresentam as maiores taxas de transmissão para os seus bebês.

A gestante quando não tratada durante o pré-natal, de forma precoce e oportuna, pode sofrer aborto, ter natimorto ou ainda um bebê com malformações e lesões de pele.

Anemia – é muito comum na gravidez e é detectada com exame de sangue. Ela precisa ser tratada com a ingestão de ferro, pois a falta do nutriente pode provocar um parto prematuro. Quando a gestante apresentar anemia, deve ser tratada e acompanhada pelo profissional de saúde.

Diabetes gestacional – é outra condição que merece. O diabetes gestacional torna a gravidez de risco e pode causar problemas de saúde no feto. A condição precisa ser diagnosticada no pré-natal para que o profissional de saúde oriente e acompanhe a gestante nos meses seguintes até o nascimento da criança.

HIV – é um vírus sexualmente transmissível e causador da Aids, doença que afeta nosso sistema imunológico. Durante o pré-natal, tanto a mulher quanto seu parceiro sexual precisam fazer o exame do HIV. Se o resultado for positivo, a gestante deve ser encaminhada para serviço especializado em HIV/aids para tratamento e acompanhamento, evitando a transmissão do vírus para a criança. As gestantes com HIV/aids devem ser orientadas a não amamentar, devendo receber a fórmula infantil (leite artificial), fornecida pelo serviço especializado em HIV/aids.

Infecção urinária – é outro problema muito comum entre as grávidas e nem sempre essa infecção vem acompanhada de sintomas. Mas deve ser tratada para que não migre para outras áreas do corpo como rins e cause um parto prematuro. O exame de urina é solicitado já na primeira consulta de pré-natal e deve ser repetido nos outros trimestres da gestação.