Tabagismo e os perigos para a saúde

 

Cerca de um terço da população adulta do mundo é fumante. Isso significa que 1 bilhão e 200 milhões de adultos aderiram ao vício do cigarro. Diretamente, o tabagismo é responsável por 90% dos óbitos decorrentes de câncer de pulmão, 85% dos óbitos por enfisema e bronquite, 30% dos óbitos por câncer de boca, 25% dos óbitos por problemas de ordem cardíaca e 25% dos óbitos por acidente vascular cerebral (AVC). Para os fumantes passivo, ou seja, pessoas que frequentam ambientes poluídos por fumaça de cigarro, 25% são mais propensas a infartos e 30% ao desenvolvimento de câncer pulmonar.

Que o tabagismo não é um hábito saudável, todo mundo está cansado de saber. Mas, talvez, poucas pessoas realmente conheçam a gravidade das consequências a curto e longo prazo decorrentes deste hábito.

O problema de saúde mais conhecido é o desenvolvimento de câncer. Cada cigarro é composto por mais de 4.700 substâncias químicas, e mais de 40 delas são cancerígenas. Quando entram em contato com os tecidos do corpo repetidamente, são capazes de agredir e lesionar as células, aumentando a propensão ao surgimento de células com mutação que dão início ao câncer. Os fumantes são 10 vezes mais propensos ao desenvolvimento de câncer do que os indivíduos que não fumam.

O tabagismo é uma das doenças mais difíceis de serem tratadas e contar apenas com a força de vontade nem sempre é suficiente. Para quem deseja parar de fumar, o recomendado é que procure ajuda médica de um pulmonologista ou clínico geral, que solicitará alguns exames, para avaliar os efeitos do tabagismo no organismo e traçar um plano para o paciente, que inclui diminuir gradativamente o número de cigarros consumidos, a prescrição de chiclete ou adesivo de nicotina, para diminuir os efeitos da abstinência e, quando necessário, um ansiolítico, pois o processo de cura do tabagismo, pode ocasionar crises de ansiedade.

As doenças relacionadas ao tabaco são muitas. Além de maior propensão ao câncer, o hábito de fumar está associado ao aumento do ritmo cardíaco, infarto agudo do miocárdio, derrame cerebral, angina, elevação do mau colesterol, menopausa precoce, enfisema pulmonar, bronquite crônica, doença obstrutiva arterial periférica, tromboangenite obliterante, obstrução progressiva das artérias, o que pode culminar em amputação e câncer no fígado, rins, coração e pulmões, além dos sintomas agudos, como irritações nasais, na garganta e nos olhos, tonturas e dor de cabeça.

Vale a pena repensar o tabagismo em sua vida e procurar ajuda para deixar de fumar agora. É mais saúde e qualidade de vida para você e familiares que convivem com a fumaça e também estão propensos aos males do cigarro.