O que é refluxo gástrico

 

Quando uma pessoa come, a comida passa da garganta para o estômago através do esôfago. Uma vez que a comida está no estômago, um anel de fibras musculares impede que o alimento se mova para trás, em direção ao esôfago. Essas fibras musculares são chamadas de esfíncter esofágico inferior (EEI).

Se o esfíncter não fechar bem, tudo o que a pessoa comeu, bebeu e até mesmo o suco gástrico usado na digestão pode voltar para o esôfago. Isso é chamado de refluxo gastroesofágico. Esse refluxo pode causar irritação na parede do esôfago, gerando os sintomas característicos da doença do refluxo gastroesofágico.

Alguns sintomas são característicos da doença de refluxo. São elas a azia, dor no peito, dificuldade para engolir, tosse seca, rouquidão, dor de garganta, regurgitação e refluxo de suco gástrico, inchaço na garganta e náusea após refeições.

Uma pessoa diagnosticada com refluxo gástrico tem a sensação de que o alimento pode ter ficado preso na garganta e pode sentir os sinais da doença aumentar ao se curvar, inclinar-se para a frente, ficar deitado ou comer. Os sintomas também costumam ser piores à noite e podem ser aliviados com antiácidos.

Muitos sintomas do refluxo gástrico podem ser confundidos com outras doenças, por isso é importante a visita a um especialista para o diagnóstico correto, que pode ser feito apenas de forma clínica. Caso haja dúvida sobre a origem dos sintomas, o especialista poderá optar por realizar um ou mais exames para certificar-se de que se trata realmente de um quadro de doença do refluxo gastroesofágico. Entre os exames, há o Raio-X, a endoscopia e o monitoramento do pH esofágico.