A primeira consulta ginecológica

 

A média de idade da menarca é 12 anos, mas pode ocorrer entre os 10 e 15 anos. Ela acontece entre dois a dois anos e meio após o aparecimento do broto mamário e após o estirão do crescimento, em uma fase de desaceleração. Vale salientar que a jovem que não tem o início do ciclo menstrual até os 16 anos, estando com o seu corpo formado, ou seja, desenvolvimento de mamas e pelos normais, deve ser investigada. Outro motivo que justifica a procura de avaliação médica é a falta do início do desenvolvimento físico em adolescentes com 14 anos de idade.

Apesar de ser um momento importante de orientação e de início de uma relação de confiança com este especialista, que acompanhará a mulher ao longo de sua vida, muitas mães e meninas adiam a consulta por vergonha. Este é um sentimento que deve ficar do lado de fora do consultório, para que o diálogo possa fluir sem constrangimentos.

Vale dizer, portanto, que a primeira consulta geralmente é uma conversa informal, na qual o ginecologista faz perguntas sobre doenças da infância, hábitos, ciclo menstrual, doenças na família e histórico de câncer de mama.

Dependendo da idade da paciente, o médico dará orientações sobre sexo, gravidez e doenças sexualmente transmissíveis. É importante relatar queixas, ou tirar dúvidas, mesmo que pareçam bobas, para uma melhor orientação. 

Em relação a exames, caso a paciente seja virgem, são examinados apenas os seios, a região abdominal e a parte externa da região genital. A importância do exame é a prevenção e o diagnóstico de doenças.

Vale lembrar que a paciente em questão é a adolescente, por isso sua vontade deve ser respeitada e a mãe só deve acompanhá-la, caso ela queira. A maioria das meninas prefere que a mãe participe da consulta, mas isso pode criar constrangimentos, quando houver dúvidas sobre sexualidade. Nestes casos, vale um combinado entre o médico e a mãe sobre o momento certo para deixar a jovem sozinha com o profissional. 

Para agendar uma consulta ou um exame na Saúde Secular ligue para (11) 5565 4000 ou WhatsApp (11) 94504-1500.