Aumenta a obesidade no Brasil

 

A obesidade tem crescido mais entre as mulheres, além de apresentar uma evolução significativa também em crianças. Segundo o relatório, mais da população do Brasil está com sobrepeso e a obesidade já atinge a 20% dos adultos. O sobrepeso em adultos no Brasil passou de 51,1% em 2010, para 54,1% em 2014.

Já os obesos eram 17,8% da população, em 2010, e em 2014, o índice chegou aos 20%, sendo a maior prevalência entre as mulheres, 22,7%. Além disso, estima-se que 7,3% das crianças menores de cinco anos estão acima do peso, sendo as meninas as mais afetadas, com 7,7%.

Bullying

A obesidade tem se tornado cada vez mais um problema mundial e junto com ela também vem o bullying sofrido pelos obesos que sofrem preconceito também nas redes sociais.
Um estudo desenvolvido pelo Center for Weight and Eating Disorders da University of Pennsylvania’s Perelman School of Medicine mostra que a percepção de que o body-shaming (vergonha do corpo) poderia ajudar a encorajar as pessoas com obesidade a melhorar seu estilo de vida e a perder peso provoca justamente o contrário, ou seja, aumenta os riscos de a síndrome metabólica triplicar em pessoas que sofrem de autoestigma.

Hábitos

Os hábitos de vida são apontados como principais motivos para o crescimento da obesidade. Com o passar dos anos, a população tem ficado mais sedentária e consumido mais alimentos industrializados, ricos em calorias, gorduras, sódio e com pouco conteúdo nutricional.
Considera-se obeso quem está com acúmulo excessivo de gordura corporal. A obesidade é calculada por meio do índice de massa corporal (IMC). O IMC é calculado dividindo-se o peso pela sua altura elevada ao quadrado. É o padrão utilizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que identifica o peso normal quando o resultado do cálculo do IMC está entre 18,5 e 24,9.  Entre 25 e 29,9, a considera-se sobrepeso. Para ser considerado obeso, o IMC deve estar acima de 30.