Será que é gravidez? Fique alerta aos sinais

 

A melhor forma de confirmar ou não uma gestação é através do exame de sangue, por isso, o teste deve ser feito quando a mulher notar algumas mudanças, como:

– Corrimento de cor rosada

O óvulo, quando fecundado, pode gerar um corrimento que representa vestígios de sangue por causa da entrada do espermatozoide no óvulo e do deslocamento do útero. Esse sinal surge até 3 dias depois da relação.

– Cólica e inchaço abdominal

O desconforto abdominal é de grau fraco a médio e acontece devido ao aumento do fluxo sanguíneo na região pélvica por causa da ação dos hormônios que vão proteger o embrião e dar continuidade a gestação.

– Mamas sensíveis

Os hormônios são os responsáveis por preparem os seios para a amamentação, por isso nas duas primeiras semanas de gravidez a mama fica inchada e a aréola mais escura.

– Aumento na vontade de fazer xixi

As idas ao banheiro tendem a ser mais frequentes, principalmente à noite, devido ao aumento da progesterona.

– Cansaço fácil

Toda a mudança no organismo da mulher vai ser notada nas duas primeiras semanas de gravidez, época em que ela tende a ficar mais cansada.

– Enjoos e vômito

Eles são comuns na parte da manhã e surgem após a 6ª semana. Algumas mulheres sentem enjoo durante toda a gravidez em outras ele desaparece após esse período.

– Aversão a cheiros

Perfumes e fragrâncias que antes eram agradáveis passam a incomodar bem no início da gestação. É comum a paciente chegar a vomitar por causa dos cheiros fortes.

– Mudança no humor

As variações de humor, sem causa aparente, também surgem nas duas primeiras semanas. Algumas grávidas relatam chorar sem motivo ou ficarem sensíveis durante toda a gestação.

Para agendar uma consulta ou exames na Saúde Secular ligue para (11) 5565 4000 ou WhatSapp (11) 94504 1500.

Obesidade infantil, cuidado!

Atualmente, estima-se que aproximadamente 15% das crianças tenham excesso de peso e que 8% dos adolescentes também sofram com o problema.

O descontrole no peso corporal, além da questão estética, aumenta as chances de diabetes, problemas cardíacos, má formação do esqueleto, desconforto respiratório, problemas dermatológicos, níveis desregulados de colesterol e triglicerídeos, problemas psicossociais como baixa autoestima, dificuldade de relacionamento e de convívio social.

Na infância e adolescência a obesidade surge ligada a diversos fatores, como má alimentação – com ingestão regular de comidas industrializadas ou gordurosas -, tendência genética, sedentarismo – por passar horas em frente à televisão, no computador ou jogando videogames, sem a prática regular de uma atividade física -, distúrbios psicológicos ou hormonais e até mesmo como um refúgio por dificuldade no relacionamento familiar.

Para saber se a criança/adolescente está acima do peso o pediatra é o melhor especialista para avaliar. O quadro é considerado de risco quando o paciente está cerca de 20% acima do peso corporal tido como ideal.

As dicas para ajudar as crianças a se manterem no peso são:

– seguir uma alimentação balanceada com um cardápio rico em frutas, legumes e verduras;

– respeitar os horários das refeições e não comer guloseimas entre os seus intervalos;

– evitar alimentos gordurosos, industrializados, doces, frituras e refrigerantes;

– praticar atividade física, mesmo que seja caminhadas; e

– manter-se hidratado;

 

Se mesmo com a mudança desses hábitos não houver diminuição dos dígitos na balança é preciso fazer um acompanhamento médico mais de perto. Para agendar uma consulta ou exames na Saúde Secular ligue para (11) 5565 4000 ou WhatSapp (11) 94504 1500.