A endometriose e a gravidez

A patologia é uma das causas de infertilidade feminina, especialmente quando esse tecido que deveria ter sido eliminado atinge às trompas e o útero. Só que nem toda paciente terá dificuldade de engravidar por causa do problema, quando a endometriose ainda está em um estágio leve a mulher consegue seguir com uma gravidez normalmente. 

Durante a gestação, por causa da falta de estrogênio na corrente sanguínea o tecido endometrial tende a regredir, mas depois do nascimento do bebê a doença pode voltar e até de forma mais grave.

Entretanto a atenção deve ser redobrada caso a mulher tenha endometriose profunda ou grave, pois nestes casos há o riso de aborto, parto prematuro, complicações relacionadas à placenta e eclampsia. Nesses nove meses nenhum tratamento para a doença é realizado, somente o acompanhamento de perto. A cirurgia só é indicada se houver risco de morte para a mãe e o bebê.

Segundo a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) a endometriose atinge de 10% a 15% das mulheres em idade reprodutiva. A maioria dessas pacientes sentem dores abdominais durante a menstruação, tem dificuldade de engravidar e relatam desconforto durante a relação sexual. O alerta fica para as consultas ginecológicas de rotina, já que 5% dessas pacientes não terão nenhum sintoma de alerta para o problema.

Para agendar um ginecologista na Saúde Secular ligue para (11) 5565 4000 ou WhatSapp (11) 94504 1500.