Conheça quais as complicações decorrentes da obesidade

A obesidade na infância ou adolescência é ainda mais grave e pode afetar até o desenvolvimento do paciente.

Sobre as doenças causadas pela obesidade fique atenta a algumas delas:

Problemas cardíacos – devido ao acúmulo de gordura nas artérias o paciente pode desenvolver hipertensão arterial, insuficiência cardíaca e ter até um ataque cardíaco. Triglicerídeos e colesterol desregulado também estão na lista de patologias.

Dificuldade respiratória – a falta de ar e o cansaço são frequentes em pessoas acima do peso, além da maior chance em desenvolver a apneia do sono.

Diabetes – a relação entre obesidade e diabetes se explica por causa do acúmulo de gordura, principalmente a abdominal, que dificulta a entrada de insulina nas células aumentando a glicose circulante, levando ao diabetes tipo 2.

Desgaste de ossos e articulações – por causa do esforço excessivo do corpo em manter os movimentos, ossos e articulações podem vir a ter um desgaste precoce, principalmente na coluna, joelhos e tornozelos.

Infertilidade – a dificuldade em engravidar também tem relação com a obesidade. Mulheres acima do peso podem ter ausência de menstruação e os homens incontinência urinária de esforço e baixa qualidade de esperma, segundo diversos estudos sobre o assunto.

Para fazer um check-up, descartar qualquer tipo de doença relacionada à obesidade e tratar o problema agende uma consulta na Saúde Secular. Telefone (11) 5565 4000 ou WhatSapp (11) 94504 1500.

Síndrome do intestino irritável? Agende uma consulta com um gastro

Ainda sobre a doença, a causa é desconhecida. Mas o que se sabe é que o intestino é revestido de músculos que se contraem e relaxam conforme o alimento ingerido.

Quando existe a síndrome essas contrações podem ser mais fortes e durarem mais tempo ou serem bem fracas, retardando a passagem do alimento.

O paciente com o problema relata gases, flatulência, muco nas fezes e episódios de diarreia e intestino preso, além de perda de peso involuntária.

Geralmente as pessoas que mais desenvolvem a síndrome são adolescentes e adultos jovens, mulheres (elas representam o dobro dos pacientes quando comparada aos homens), aquelas com histórico familiar do problema ou que sofrem de ansiedade, depressão, transtorno de personalidade e traumas.

Apesar de a causa da síndrome ser desconhecida, alguns fatores pioram o quadro. A alergia ou a intolerância alimentar aumentam o desconforto, principalmente quando relacionadas à chocolate, gorduras, feijão, repolho, brócolis, leite ou álcool. O estresse é outro fator desencadeante. No momento do estresse a doença tende a piorar.

E as mudanças hormonais, motivo que torna a mulher mais suscetível ao problema, afeta o quadro da síndrome principalmente próximo ao período menstrual.

O tratamento vai aliviar os sintomas e devolver a qualidade de vida ao paciente. As orientações médicas são para o uso de medicamentos específicos e mudanças no estilo de vida, como uma dieta com redução de bebidas gaseificadas, alimentos gordurosos e sem excesso de glúten.

Ao notar qualquer mudança no organismo agende uma consulta e verifique se o problema é a síndrome ou outro tipo de doença gastrointestinal. Caso não seja tratada, a síndrome pode piorar o quadro de saúde do paciente.

Para agendar uma consulta na Saúde Secular entre em contato pelo telefone (11) 5565 4000 ou WhatSapp (11) 94504 1500.